O crime organizado é um dos maiores problemas que os cristãos mexicanos enfrentam diariamente, não apenas nas cidades, mas especialmente nas comunidades rurais localizadas em territórios sob o controle de poderosos cartéis de drogas e milícias

Fonte: Portas Abertas

As pessoas vivem com o medo de serem atacadas, roubadas, sequestradas e até mortas a sangue frio em qualquer lugar, a qualquer hora. Principalmente os  cristãos, alvos desses cartéis, podem se ver no meio de um tiroteio entre pistoleiros e traficantes de drogas.

O irmão Macario, sua esposa Mildred e seus três filhos não sabiam dessa realidade quando chegaram a Taloctitlán, uma pequena cidade no estado de Jalisco, no oeste do México.

Em 2020, apenas alguns meses antes do início da pandemia COVID-19, Macario e Mildred começaram a organizar sua mudança para onde sentiam que Deus os havia chamado para estabelecer uma missão de evangelização.

Como cristãos, eles estavam entusiasmados e gratos pela oportunidade de viver e compartilhar a Palavra de Deus em uma nova comunidade. Mal sabiam eles que sua recepção seria como nenhuma outra que tiveram em outros lugares.

Assim que chegaram em sua nova casa em fevereiro de 2020, eles notaram a caixa d’água na casa tinha vários buracos do que parecia ser tiros disparados recentemente; de um lado do caixa, eles encontraram a seguinte mensagem: “isso é para deixar as coisas claras desde o início.”

Por algum tempo, optaram por não se identificar como missionários cristãos e se mantiveram tranquilos e sem muita exposição. Algum tempo se passou e eles criaram uma pequena escola para ensinar crianças da comunidade e, dessa forma, esperavam ganhar a confiança dos moradores da cidade.

Mas tão logo começaram a ensinar sobre o amor de Deus durante as aulas, o assédio se levantou contra Macario e sua família. “Os pais dessas crianças os tiraram da escola e pediram à liderança católica local para fazer algo sobre os ensinos que os evangélicos traziam à comunidade.”, disse Macario em entrevista à Portas Abertas. Ele também foi ameaçado pelo cartel de drogas que domina a região e não quer mais líderes religiosos convertendo as crianças da comunidade.

Ele também contou que os pais argumentaram que seu ensino estava prejudicando seus filhos. Para o pastor, este incidente marcou o início da dura perseguição religiosa contra ele e sua família. Mesmo com a pressão que a família enfrentava para sair da comunidade, eles resolveram ficar.

Apesar de graves ameaças vindas da comunidade tradicional católica e dos cartéis de drogas locais, Macario e a família continuam evangelizando e ensinando na escola e em eventos para crianças da comunidade.

O México está em 37ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2021 – que classifica os 50 países que mais perseguem cristãos no mundo e a presença cada vez maior de grupos criminosos e sua luta pelo controle territorial criam um ambiente em que os cristãos – e principalmente os líderes – enfrentam o risco constante de serem alvo de violência no país. Os cristãos são vistos como uma ameaça às atividades criminosas porque se opõem à corrupção e ao uso de drogas ou porque rejeitam explicitamente quaisquer demandas ou solicitações de organizações criminosas.

O que a Portas Abertas faz para ajudar os cristãos no México? 

O ministério da Portas Abertas no México trabalha para trazer uma mudança estrutural para a situação de perseguição no México, ajudando a fornecer soluções para as necessidades espirituais e materiais dos cristãos perseguidos. A Portas Abertas também envolve e equipa a igreja mexicana para alcançar diretamente aqueles que enfrentam perseguição. 

Como posso ajudar os cristãos perseguidos? 

Além de orar por eles, você pode ajudar de forma prática doando para os projetos da Portas Abertas de apoio aos cristãos perseguidos. Doando para esta campanha, sua ajuda vai para locais onde a necessidade é mais urgente. 

Sobre o Colaborador

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.